Louca Terapia expõe esteriótipos gays
Louca Terapia expõe esteriótipos gays

Louca Terapia expõe esteriótipos gays: confira quem é você nessa comédia

Louca Terapia expõe esteriótipos gays e leva todos a se identificarem com a peça que volta em cartaz trazendo um novo casal. O roteiro é parte da vida, de alguma forma, de cada um de nós, gays, que está tentando viver um amor, uma transa, uma história. Cada um deles escancara um “tipo” de gay que a gente é ou conhece. E a peça é uma comédia deliciosa, cheia de beijos boy sem camisa e excelentes atuações dos meninos que estão super bem em cena. Mas vamos às personagens. O Hornet esteve na plateia e debulhou um a um para você comentar sobre qual deles é mais você.

Louca Terapia expõe esteriótipos gays

Guto, a poc padrãozinho – ele é malhadinho, ele bomba no Instagram, biscoiteiro, posta foto marcando a mala nos stories e dá pinta. Nenhum defeito, porque a gente gosta de biscoito mesmo. Guto é assumido, inclusive e seus medos e inseguranças. Ele pressiona o namorado para se assumir também, porque quer andar de mãos dadas com o boy na rua e postar fotos nas redes. Nada mais justo. Guto é bom, é doce, só quer ser feliz.

View this post on Instagram

👀💚

A post shared by KᒪEᗷEᖇ ᖇEIᔕ (@kleber.reis6) on

Will, o discreto no armário – indeciso, certo de sua sexualidade, mas incerto sobre sua vida profissional. Com dificuldade de sair do armário, encontra desculpas para não estar com o boy que ama em determinadas situações de exposição. Tem bom coração, mas ainda chama o namorado de “namorada” para os amigos e não acompanha os projetos do namorado, porque sua vida está bagunçada. Will é honesto, mas pouco politizado.

View this post on Instagram

SP 📷

A post shared by William Avelar (@william_avelar) on

Jhon, o hétero que curte homem – discreto e fora do meio, o famoso macho que come macho. Jhon é o cara que, apesar de estar em uma relação séria com outro homem, não dá pinta, não mostra o rosto no app de pegação e pode jurar de pé juntos que pega mulheres. Mente até sobre ser religioso, mas no fundo, não acredita em Deus. Jhon não é mau caráter, é picareta. Uma hora a ficha cai e ele aceita que ser gay é ok.

Miguel, a bicha bichérrima – sem medo do desconhecido, Miguel é a bicha louca do quarteto. Dá pinta, joga cabelo, é esotérica, faz a dramática, chora, a vida é uma novela mexicana. É bom de tudo, não faz a linha bicha má. É a mais animada do rolê, fala alto, se beber dá PT. Miguel é o amigo de todas as horas e não nega carinho. Mas é melhor não fazer inimizade com ele, porque quando a bicha fica brava… sai de baixo!

Louca Terapia está em cartaz no Teatro West Plaza – Av. Francisco Matarazzo – Água Branca, São Paulo – SP – Sala Laura Cardoso de 20 de junho à 25 de julho toda quintas às 21h30. Valores: R$ 50,00 (Inteira) R$ 25,00 meia.

Comments are closed.